"Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim." João 14.6

Coluna: FALANDO A ALMA
Nome: ROGÉRIO B. BERNARDES
E-mail: oirerog@gmail.com
Igreja: CASA DE ORAÇÃO EM JARDIM MARILÂNDIA
Memorando:

Rogério Batista Bernardes, casado com Marilene Rodrigues Bernardes, pai de Miguel e Marilia, nascido em Ecoporanga, em 1969.

Graduado pela Universidade Federal do Espirito Santo; Formado e Especializado em Psicanálise Clínica Pela UNIG e ABPC; Especializado em Gestão Pública Municipal, pelo IFES.

Quantidades de pessoas que visualizaram este texto20176 Quantidade de pessoas que curtiram este texto Quantidade de pessoas que não gostaram deste texto

11/12/2015 12:05:35

QUE FRUTO PRODUZ

Thomas Maltus, Pastor Anglicano, Filosofo, Economista, Professor da Faculdade Cia Das Índias, considerado pai da Demografia, escreveu nos anos de 1.800, que a produção de alimentos seria insuficientes para alimentar a população humana, pois enquanto àquela crescia de forma geométrica, a de alimentos crescia de maneira aritmética, o que culminaria em grande fome mundial.

Por muito tempo os agricultores selecionavam os melhores grãos, escolhiam os que possuíssem mais nutrientes para sustentarem o novo ser germinado, aumentando a resistência, e garantindo a perpetuação de novos frutos/sementes cheios de vida.

Anos se passaram, as técnicas agrícolas se desenvolveram e a produção de alimentos alcançou resultados inimagináveis. Uma das características desse novo sistema de produção é o hibridismo, que garante alta produtividade de frutos e grãos. Esses frutos são grandes, belos, nutritivos tem aparência de; gosto de; e são frutos/grãos. Entretanto são incapazes de reproduzirem, são estéreis, alimentam, mas não tem vida, não germinam. As sementes são produzidas em laboratórios, não são puras, há um cruzamento de espécies para lhes tornarem estéreis. Sua função é produzir muito para servir apenas de alimento a outras espécies.

Na parábola do semeador Jesus deixou-nos a lição de que a semente era viva, germinativa, o problema estava no solo, no ambiente, não na semente.

O título do texto sugere uma comparação do leitor a uma frutífera produtiva, é possível que estejamos produzindo sementes modificadas em laboratórios, que plantadas produzem, por exemplo: parece milho; tem gosto de milho; cheiro de milho, e é milho, mas uma vez replantada não germinará, não passará de esterco.

O fruto do Cristão precisa ter em si o poder produzir e reproduzir, ele não deve ser híbrido, estéril, precisa ser fruto que contenha vida, ou seja, precisa conter Cristo.

Se produzirmos Frutos Cristãos de maneira Geométrica, com técnicas artificiais, humanas, criadas apenas em “laboratórios”, pode-se ter a sensação de crescimento da igreja, com frutos belos, apresentáveis, gostosos, mas que podem não conter a essência vital.

Que fruto produz: Híbrido ou Puro?

Rogério da Marilene

COMENTÁRIOS (1)

DATA:
13/02/2016 10:10:53

NOME:
Abigail

COMENTÁRIO:
A Semente é a mesma. Nós é que mudamos, que sejamos trigo e não joio, através dos nossos frutos fazemos a diferença. É melhor qualidade que quantidade. Deus abençoe VC e família. Muito boa a matéria.

19/02/2016 21:34:41
ROGÉRIO B. BERNARDES

Amem! Muitos produziram frutos que alimentaram outros, mas eles mesmos não se alimentavam. A lavoura de Deus é inexplicável.

  •  



MAIS PUBLICAÇÕES DESTE COLUNISTA

.:: DEIXE SEU COMENTÁRIO ::.

Digite no campo abaixo o que você vê na imagem

 

Casa de Oração em Jardim Marilândia - Vila velha/ES
by, Fabiano de Azeredo