"Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim." João 14.6

Coluna: FALANDO A ALMA
Nome: ROGÉRIO B. BERNARDES
E-mail: oirerog@gmail.com
Igreja: CASA DE ORAÇÃO EM JARDIM MARILÂNDIA
Memorando:

Rogério Batista Bernardes, casado com Marilene Rodrigues Bernardes, pai de Miguel e Marilia, nascido em Ecoporanga, em 1969.

Graduado pela Universidade Federal do Espirito Santo; Formado e Especializado em Psicanálise Clínica Pela UNIG e ABPC; Especializado em Gestão Pública Municipal, pelo IFES.

Quantidades de pessoas que visualizaram este texto2074 Quantidade de pessoas que curtiram este texto Quantidade de pessoas que não gostaram deste texto

27/02/2016 11:46:08

A MELANCOLIA GERA CEGUEIRA, SURDEZ, ASPEREZA, SENTIMENTO DE ABANDONO

 

Lucas 24

É comum em nossa vida sentirmos triste, abandonado, como se ninguém se importasse conosco.

Às vezes esse sentimento é resultado de uma perda, frustração, decepção, desilusão amorosa, luto. Outras vezes pelo sentimento de culpa por erros que nós mesmos julgamos ter cometido e não conseguimos nos perdoar, e em muitos casos nem mesmo sabemos a origem.

Nesses momentos a dor d’alma é profunda, angustiante, parece que estamos sós, ninguém se importa conosco, ninguém nos ama, se um familiar ou irmão se aproxima, o agredimos com palavras ou gestos bruscos na tentativa de afastá-lo, é como se a proximidade nos ameaçasse, a dor é mais importante que o alívio, “só eu sei o quanto estou sofrendo”. 

Lucas descreve esse sentimento ao mencionar o diálogo dos discípulos:

Enquanto assim comentavam e discutiam, o próprio Jesus se aproximou, e ia com eles; mas os olhos deles estavam fechados, de sorte que não o reconheceram. Então ele lhes perguntou: Que palavras são essas que, caminhando, trocais entre vós? Eles então pararam tristes. E um deles chamado Cleopas, respondeu-lhe: És tu o único peregrino em Jerusalém que não soube das coisas que têm sucedido nesses dias?

Observem que nesse exemplo a melancolia atingiu mais de um. “olhos fechados”;  “Eles pararam tristes”, nesses momentos não conseguimos ou não queremos enxergar, a tristeza nos impede, muitas vezes estamos cercados por parentes, amigos, conhecidos, irmãos em Cristo, mas o sentimento é de solidão, abandono, olhamos e não reconhecemos ninguém!

Por mais que alguém se esforce com conselhos, exemplos, promessas, somos incapazes de ouvir: v. 27 - “começando por Moisés, e por todos os profetas, explicou-lhes o que dele se achava escrito”. O nosso sofrimento é maior, real, as palavras  não são ouvidas, presto atenção chego a acenar, mas a dor continua!

Racionalizo: “És tu o único peregrino em Jerusalém que não soube das coisas que têm sucedido nesses dias?”. Tenho os meus motivos; deixa-me sozinho; vai cuidar da sua vida; é sempre assim você nunca consegue me entender; só você que não percebe! Esforço-me para manter distância do outro, afinal a dor é só minha só eu sei, só eu existo, só eu sei o quanto sofro!

Todo o discurso de Jesus não lhes atingiu, não os consolou, não os fez lembrar-se das promessas divinas. Mas ao chegarem à aldeia,  verso 29, “Jesus fez como quem ia para mais longe. Eles, porem o constrangeram, dizendo: fica conosco, pois já é tarde...”. A partir desse momento pararam de pensar só em si e nas próprias tristezas; enxergaram o outro, preocuparam-se com a segurança do peregrino; ofereceram casa, comida, e comunhão à mesa. Enxergar o outro permitiu que os olhos fossem abertos ao ponto de reconhecerem o companheiro e mestre Jesus, dizendo: “porventura não ardia os nossos corações quando falava conosco?”.

Após passarmos por nossas tristezas, ao enxergamos o outro: cônjuge, pai, filho, amigo, irmão, dizemos: como você me suporta, te faço tanto mal; só você mesmo para me suportar!  Sentimos amados, temos o animo redobrado e passamos a nos esforçarmos para compartilhar com outros da nossa alegria, assim como fizeram àqueles, voltaram para Jerusalém naquela mesma noite.

Não é tarefa fácil. Mas ao perceber que a nostalgia esta a nos contagiar o melhor a fazer é valorizar o outro, procura-lo, compartilhar, e principalmente enxergá-lo também como sujeito que sente, sofre. Não é nosso inimigo, concorrente, opressor é apenas semelhante!

Trate com brandura, se esforce para sorrir; louve a Deus com  sua voz; e como diz o refrão de um velho cântico: “jogue a tristeza fora e mande-a embora do seu coração”. 

Rogério Batista Bernardes

COMENTÁRIOS (6)

DATA:
28/02/2016 22:57:01

NOME:
Sylvio Ximenes

COMENTÁRIO:
Graça e paz meu caro irmão Rogerio! Mensagem de restauração e avivamento verdadero. O Senhor continue a te inspirar e revelar uma boa palavra uma palavra que edifica e satisfaz. E graças a Deus, que Jesus ainda continua curando a cegueira espiritual e a tristeza da alma dos crentes que perderam a esperança. Grande abraço! Fique na fé e na esperança da volta de Jesus.

29/02/2016 11:44:42
ROGÉRIO B. BERNARDES

Verdade irmão Sylvio. As promessas de Deus são eternas. Muito antes do episódio relido no texto, o Profeta Isais havia dito que os nomes do nosso Senhjor seria: Maravilhoso, Conselheiro, Pai da eternidade e Principeda Paz.



DATA:
27/02/2016 23:46:58

NOME:
Fábio

COMENTÁRIO:
Muito boa essa reflexão. Realmente quando procuramos cumprir o segundo mandamento de Deus certas tristezas deixam de fazer parte de nossas vidas. Valorizar e reconhecer quem está ao nosso lado é dom que deve ser alcançado por todos. Parabéns primo!!!

29/02/2016 11:41:00
ROGÉRIO B. BERNARDES

Isso aí primo!

a melhor receita para evitar a dor dalma é o amor. Não o amor egoista, mas àquele que coloca Deus sobre todas as coisas e o próximo como um igual. Assim estarei menos envolvido com "meus dilemas". 



DATA:
27/02/2016 22:36:18

NOME:
José Antônio Pereira

COMENTÁRIO:
Excelente texto irmão, que Deus continue te abençoando, e te ilumine para sempre nos proporcionar um reflexão como essa.

29/02/2016 11:38:16
ROGÉRIO B. BERNARDES

Obrigado irmão! 

Amém pelo seu pedido!



DATA:
27/02/2016 18:41:49

NOME:
Renata Batista Bernardes Scarpatti

COMENTÁRIO:
Graças a Deus que temos um consolador, em quem recorremos nas nossas angústias e tristeza.infelizmente não reconhecemos a sua presença bem junto a nós no caminho.

29/02/2016 11:36:59
ROGÉRIO B. BERNARDES

Mana bom dia!

Verdade o Espirito Santo tem esssa função. Mas precisamos experimentar a convivência com outras pessoas para nos percebermos através deles.  



DATA:
27/02/2016 15:56:35

NOME:
Gilmar

COMENTÁRIO:
Muito bom,as vezes me pergunto,no lugar de um desses discípulos onde reconheceria Jesus?

29/02/2016 11:33:59
ROGÉRIO B. BERNARDES

Bom dia Irmão Gilmar. Nosso racionalismo nos distancia muito de Cristo, isso dificulta nossa identidade com Cristo. As vezes precisamos ouvir falar ver ou seja todos os nossos sentidos precisam estar atentos a pessoa de Cristo.



DATA:
27/02/2016 14:40:53

NOME:
Luciana Fraga Montoni

COMENTÁRIO:
Parabéns Rogério muito bom o texto. Quando eu ainda não conhecia Jesus minha vida era assim uma solidão só. Tinha amigo, colegas, parentes e etc. Mas o vazio que sentia me tornava melancolica, triste.

29/02/2016 11:30:05
ROGÉRIO B. BERNARDES

Luciana como é bom ouvir seu testemunho. Deus continue te abençoando!



MAIS PUBLICAÇÕES DESTE COLUNISTA

.:: DEIXE SEU COMENTÁRIO ::.

Digite no campo abaixo o que você vê na imagem

 

Casa de Oração em Jardim Marilândia - Vila velha/ES
by, Fabiano de Azeredo