"Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim." João 14.6

Coluna: FALANDO A ALMA
Nome: ROGÉRIO B. BERNARDES
E-mail: oirerog@gmail.com
Igreja: CASA DE ORAÇÃO EM JARDIM MARILÂNDIA
Memorando:

Rogério Batista Bernardes, casado com Marilene Rodrigues Bernardes, pai de Miguel e Marilia, nascido em Ecoporanga, em 1969.

Graduado pela Universidade Federal do Espirito Santo; Formado e Especializado em Psicanálise Clínica Pela UNIG e ABPC; Especializado em Gestão Pública Municipal, pelo IFES.

Quantidades de pessoas que visualizaram este texto189 Quantidade de pessoas que curtiram este texto Quantidade de pessoas que não gostaram deste texto

05/12/2015 13:19:33

ZELOSO PELAS COISAS DE DEUS

Uma das máximas dos seres humanos é a diferença. Temos varias percepções para um mesmo objeto. Nosso conceito do singular é sempre pluralizado. Afinal o que EU vejo, só eu posso ver. Assim, fica difícil chegarmos a um consenso. Afinal, eu estou com “a razão”!

Será que vocês não conseguem enxergar?

Estão todos cegos!

Quando olhamos para as coisas Espirituais não vemos diferença. Desde Abel/Caim aos dias atuais, observamos uma sucessão de guerras e contendas em nome de Deus. Deus precisa que o represente: “os outros só podem conhecer Deus se o revelar”. Assim vou criando minha teologia; partindo de uma herança, e adicionando a essa herança, minha marca.

Após quase três anos de convívio com o Sr. Jesus, observando seu jeito de ser e agir, os discípulos continuava com sua própria maneira de fazer. Mateus registrou no cap. 26, a narrativa dos últimos momentos do mestre e seus aprendizes. Convido-o a olhar a atitude de Pedro em Três episódios:

1º) Versículos 31-33: Pedro afirma veemente que “JAMAIS” Abandonaria o Senhor; 

2º) Versículos 36-40: Enquanto Jesus esvai-se em suor sanguíneo, Pedro Dorme!

3º) Versículos 51-53: No momento da prisão de Jesus, Pedro saca da espada e prontamente arranca uma das orelhas de um dos guardas. Jesus repreende Pedro; Faz um implante perfeito da orelha (lucas:22v51), e diz: “... ou pensas tu que Eu não poderia agora orar ao Meu Pai, e Ele não Me daria mais de doze legiões de Anjos?...” v. 53.

Querido, será que essa(s) atitude(s) não lhe é(são) comum(s)?

Por acaso já viu algum irmão lançando mão da “prepotência”; “negligência”; “coragem” para defender o “Senhor”?

Será que não estou defendendo o meu próprio "senhorio"?

Será que essa é verdadeiramente a forma correta de demonstrar que amo o Senhor?

Foi assim que Cristo ensinou:

“Deve zelar pela obra do Senhor quer gostem ou não”?

Ou

... “Tomai sobre vós o Meu jugo e aprendei de Mim, que Sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para vossas almas”. Mt 11.29

... “E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor”. 2Tm. 2.24;

... “Mas o homem encoberto no coração; no incorruptível trajo de um espírito manso e quieto, que é  precioso diante de Deus”. 1Pd 3.4. 

... “Segui a paz com todos, e a santificação sem a qual ninguém verá o Senhor”. Hb 12.14;

Queridos o zelo pela casa de Deus, devem nos consumir, e não aos nossos irmãos.

A única forma de apresentar Deus aos homens é amando-os.

Sinceramente é mais difícil. Mas indiscutivelmente mais gratificante.

Rogério da Marilene

 

Casa de Oração em Jardim Marilândia - Vila velha/ES
by, Fabiano de Azeredo