"Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim." João 14.6

Coluna: PALAVRA PROFÉTICA
Nome: SYLVIO XIMENES
E-mail: sylvioxdorcas@gmail.com
Igreja: CASA DE ORAÇÃO (Retiro) EM VOLTA REDONDA/RJ
Memorando:

Sylvio Ximenes, servo do Senhor Jesus Cristo desde 1980. Esposo da Dorcas Ximenes, pai de Michelly e Marcelly. Avô orgulhoso de Fabrizzio, Anna Jullya e Melina. Em 2016, fizemos 36 anos de casamento e converção, e 20 anos de tempo exclussívo na obra do Senhor. Graças a Deus - O Senhor é o meu Pastor e nada me faltará. Amém!

Quantidades de pessoas que visualizaram este texto143 Quantidade de pessoas que curtiram este texto Quantidade de pessoas que não gostaram deste texto

06/03/2017 17:40:19

VITÓRIA EM JESUS

VITÓRIA EM JESUS

(William L. Krewson)

Quando o primeiro homem e a primeira mulher ouviram a voz da serpente e escolheram desobedecer ao Deus que os havia criado, a cortina caiu em um mundo que era perfeito. Adão e Eva então se consideraram como Deus ao criarem seus próprios padrões de bem e mal – algo que a sociedade faz com regularidade atualmente. Mas, antes que Deus os expulsasse do Jardim do Éden, Ele sentenciou a serpente (Satanás) à derrota: “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar” (Gn 3.15). Esta primeira e maravilhosa promessa de Deus encontra cumprimento no Cristo ressurreto. Satanás considerou a morte de Jesus como seu próprio momento de vitória; mas, na realidade, essa foi a hora de sua maior derrota. A ressurreição estabelece Jesus como o poderoso Filho de Deus e garante a vitória final sobre a morte e sobre Satanás (Hb 2.15).

Ligada à Profecia Judaica

Embora poucas pessoas percebam isso, a ressurreição de Cristo está claramente ligada à profecia judaica. O apóstolo Paulo escreveu: “E que foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras” (1 Co 15.4). As Escrituras a que Paulo se refere são as Escrituras Hebraicas. O Antigo Testamento previu que o Messias iria ressuscitar dos mortos. Paulo, na verdade, explicou esse conceito à audiência de uma sinagoga, citando Salmos 2.7, Isaías 55.3; e Salmos 16.10, respectivamente: “Nós vos anunciamos o evangelho da promessa feita a nossos pais, como Deus a cumpriu plenamente a nós, seus filhos, ressuscitando a Jesus, como também está escrito no Salmo segundo: Tu és meu Filho, eu, hoje, te gerei. E, que Deus o ressuscitou dentre os mortos para que jamais voltasse à corrupção, desta maneira o disse: E cumprirei a vosso favor as santas e fiéis promessas feitas a Davi. Por isso, também diz em outro Salmo: Não permitirás que o teu Santo veja corrupção” (At 13.32-35).

A profecia sobre a ressurreição em Isaías descreve o sofrimento do Servo: “Porquanto foi cortado da terra dos viventes; por causa da transgressão do meu povo, foi ele ferido” (Is 53.8) e “Designaram-lhe a sepultura com os perversos” (Is 53.9). Depois, o profeta previu a ressurreição: “quando der ele a sua alma como oferta pelo pecado, verá a sua posteridade e prolongará os seus dias; e a vontade do Senhor prosperará nas suas mãos” (Is 53.10). Esse Servo não permanecerá na sepultura, mas viverá para ver Sua posteridade. Apenas a ressurreição de Jesus dá sentido a essa profecia.

O Antigo Testamento também previu a ressurreição de Jesus “ao terceiro dia”. A primeira passagem a ensinar sobre tal esperança está em Oseias: “Vinde, e tornemos para o Senhor, porque ele nos despedaçou e nos sarará; fez a ferida e a ligará. Depois de dois dias, nos revigorará; ao terceiro dia, nos levantará, e viveremos diante dele” (Os 6.1-2). Esta profecia fala sobre uma restauração futura para o povo de Israel. Ela também se refere ao Messias, que é a figura ideal de Israel. Como em outras passagens do Antigo Testamento que apontam para o Messias como um tipo ou uma figura, essa passagem pode ser a que Paulo tinha em mente e que profetizava a ressurreição de Jesus ao terceiro dia. Uma outra passagem está no Livro de Jonas. Como o próprio Jesus ensinou: “Porque assim como esteve Jonas três dias e três noites no ventre do grande peixe, assim o Filho do Homem estará três dias e três noites no coração da terra” (Mt 12.40). Novamente, Deus usou um tipo para apontar para a realidade; a experiência de Jonas serviu como paralelo para a experiência de Jesus.

Revertendo a Maldição

Quando Adão e Eva pecaram, Deus prometeu à humanidade um mundo cheio de dificuldades e problemas em uma Terra que havia sido amaldiçoada por causa do pecado. Ainda assim, em meio a maldições, Ele também proporcionou esperança através de um Redentor prometido (Gn 3.15). A “Semente” de Eva seria um varão humano que esmagaria a cabeça da serpente, aplicando a Satanás um golpe mortal. O calcanhar desse Homem seria machucado na luta, mas a Ele está assegurada a vitória completa. A maldição será revertida e o Éden será restaurado. Jesus “foi designado Filho de Deus com poder, segundo o espírito de santidade pela ressurreição dos mortos” (Rm 1.4). Sua ressurreição deu validade ao que Ele alcançou com Sua morte. O poder sobrenatural de Deus sobre a morte e sobre a serpente garante a vitória final quando Jesus Cristo retornar à Terra.

Governando Para Sempre

Nas Escrituras Hebraicas, Deus demonstrou Sua intenção de governar o mundo, dando ao povo de Israel um rei segundo o Seu coração. Davi, diferentemente de Saul que reinou antes dele, refletia um desejo profundo de agradar a Deus e de governar Israel com justiça e compaixão. Contudo, Davi não era o rei perfeito que Deus havia prometido. Deus, de fato, fez a Davi uma promessa a respeito de um de seus descendentes: “Porém a tua casa e o teu reino serão firmados para sempre diante de ti; teu trono será estabelecido para sempre” (2 Sm 7.16). Deus prometeu que um dos filhos de Davi herdaria seu trono, e seu governo jamais terminaria. Como poderia tal promessa ser cumprida quando o reinado davídico terminou no ano 586 a.C., tendo a Babilônia conquistado o Reino de Judá?

A Aliança Davídica, a maravilhosa promessa de Deus acerca de Seu futuro Rei, encontra cumprimento em Jesus Cristo. Jesus nasceu da linhagem de Davi (Mt 1.1). O Anjo Gabriel anunciou: “Este será grande e será chamado filho do Altíssimo; Deus, o Senhor, lhe dará o trono de Davi, seu pai; ele reinará para sempre sobre a casa de Jacó, e o seu reinado não terá fim” (Lc 1.32-33). Entretanto, Jesus morreu, assim como morreram todos os outros reis da linhagem de Davi. O que qualifica Jesus a reivindicar o cumprimento da Aliança Davídica? Apenas Jesus, o Filho de Davi, ressuscitou dos mortos. Paulo anunciou essa preciosa verdade ao povo judeu ao declarar que o próprio Davi predisse a ressurreição de Jesus; e então Paulo citou as palavras de Davi: “Porque não deixarás a minha alma na morte, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção” (At 2.27, citando Sl 16.10). E Paulo continua: “Sendo, pois, profeta e sabendo que Deus lhe havia jurado que um dos seus descendentes se assentaria no seu trono, prevendo isto, referiu-se à ressurreição de Cristo, que nem foi deixado na morte, nem o seu corpo experimentou corrupção. A este Jesus Deus ressuscitou, do que todos nós somos testemunhas” (At 2.30-32).

A ressurreição de Jesus garante Seu direito a reivindicar o reinado davídico. Ele governa sobre Sua igreja agora e governará sobre Israel e sobre todas as nações no Reinado vindouro. A única maneira de um rei governar para sempre é se esse rei viver para sempre. A ressurreição de Jesus garante Seu direito a reivindicar o reinado davídico. Ele governa sobre Sua igreja agora e governará sobre Israel e sobre todas as nações no Reinado vindouro. Sua ressurreição Lhe confere direitos de rei. Jesus Cristo é “o Primogênito dos mortos e o Soberano dos reis da terra (...) o primeiro e o último, que esteve morto e tornou a viver” (Ap 1.5; Ap 2.8). Consequentemente, Sua ressurreição dá a todos os que creem n`Ele nova vida por meio da identificação que eles têm com Ele: “Porque, se fomos unidos com ele na semelhança da sua morte, certamente, o seremos também na semelhança da sua ressurreição” (Rm 6.4).

Seu reino culminará no Reino Milenar, quando “com cetro de ferro as [as nações] regerá” (Ap 2.27). A batalha de Jesus contra as forças do Diabo e contra a morte finalmente trará o Reino eterno de Deus: “E, então, virá o fim, quando ele entregar o reino ao Deus e Pai, quando houver destruído todo principado, bem como toda potestade e poder. Porque convém que ele reine até que haja posto todos os inimigos debaixo dos pés. O último inimigo a ser destruído é a morte. Porque todas as coisas sujeitou debaixo dos pés” (1 Co 15.24-27).

O plano original de Deus para o Jardim do Éden será realizado com os Novos Céus, a Nova Terra e a Nova Jerusalém (Ap 21.1-2). Como falam as palavras do grande compositor de hinos do século XVIII, Charles Wesley, em seu cântico “Alegrai-vos, o Senhor é Rei”: Jesus, o Salvador, reina; Deus de verdade e de amor; Quando Ele purificou nossas manchas, Ele assentou Se nos céus; Erguei o coração, erguei as vozes; Alegrai-vos, novamente digo, alegrai-vos! Alegrai-vos em gloriosa esperança! Jesus, o Juiz, voltará, E levará Seus servos para a morada celestial. Logo ouviremos a voz do arcanjo; A trombeta soará, alegrai-vos! Amém. Maranata!

Adaptado: S. Ximenes.

 

Nenhum comentário!
Seja o primeiro a comentar

COMENTÁRIOS (0)

MAIS PUBLICAÇÕES DESTE COLUNISTA

ELE, O PRIMEIRO EM TUDO

NO BRILHO DA SUA GLÓRIA

PRECISAMOS UNS DOS OUTROS

FALTAM DOIS MINUTOS E MEIO PARA O DIA DO JUÍZO FINAL...

AVANTE PARA A VITÓRIA!

OS CINCO PILARES DA REFORMA PROTESTANTE

ENVIADO PARA VENCER

INCRIVELMENTE MARAVILHOSA

AMADO INFINITAMENTE

SUA CONFIANÇA

Você espera por ele? Realmente?

O TEMPO ACEITÁVEL...

O QUE ACONTECERÁ EM 23 DE SETEMBRO DE 2017?

A SOMA DE TODOS OS MEDOS...

A VERDADE SOBRE O TEMPLO DOS ÚLTIMOS DIAS

A PREPARAÇÃO PARA O TERCEIRO TEMPLO

O SONHO DA ESTÁTUA (Dn 2)

O FIM É SÓ O COMEÇO!...

ESTÁ TÃO DIFÍCIL ESPERAR!

ADORANDO O DEUS DA TECNOLOGIA

DIAS DE NOÉ E DIAS DE LÓ

TEMPOS DIFÍCEIS

DESNUTRIÇÃO PROFÉTICA

3.000 Anos de História Judaica

"VENENO NA PANELA"!...

Ai! ...

AS LAGARTAS DESTRUIDORAS, ...

PEDRAS VIVAS!...

CUIDADO!

Quem Penso que sou?...

Feliz Páscoa!...

Páscoa Feliz!...

Diferenças Entre o Arrebatamento e a Segunda Vinda

O QUE VOCÊ ESPERA?

“RELÓGIO DO JUÍZO FINAL”

A Lagarta Destruidora, que nunca chega a Metamorfose

O MELHOR AINDA VIRÁ

O CÉU ANTES DA VOLTA DE CRISTO

OFERTA PACÍFICA...

CERTEZA

UM CRISTÃO PODE PERDER A SALVAÇÃO?

CARTA AOS JOVENS

UNIDADE E UNÂNIMIDADE

Em Crise...

ESPERANÇA QUE VAI ALÉM!...

VENHA O TEU REINO

ELE É O VOSSO REI?

NOITE DE PAZ!

A CORRETA ESPERA!...

ESTEJAM PREPARADOS!

ESTEJAIS ATENTOS!

EM BREVE O VEREMOS

ELE VOLTARÁ!...

A MAIOR PROFECIA DE TODOS OS TEMPOS

“Golias só cai diante daquele que leva pão e queijo”

Lideres “Incapazes de Latir”!?

Ano da abundância e abundância da graça

SEM PERDER A VISÃO PARA FAZER MISSÕES

Profecias cumpridas em Israel (IV parte)

Profecias cumpridas em Israel (III parte)

Profecias cumpridas em Israel (II parte)

Profecias cumpridas em Israel (I parte)

As Profecias dos Terremotos – (Isaías 24)

.:: DEIXE SEU COMENTÁRIO ::.

Digite no campo abaixo o que você vê na imagem

 

Casa de Oração em Jardim Marilândia - Vila velha/ES
by, Fabiano de Azeredo