"Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim." João 14.6

Coluna: FALANDO A ALMA
Nome: ROGÉRIO B. BERNARDES
E-mail: oirerog@gmail.com
Igreja: CASA DE ORAÇÃO EM JARDIM MARILÂNDIA
Memorando:

Rogério Batista Bernardes, casado com Marilene Rodrigues Bernardes, pai de Miguel e Marilia, nascido em Ecoporanga, em 1969.

Graduado pela Universidade Federal do Espirito Santo; Formado e Especializado em Psicanálise Clínica Pela UNIG e ABPC; Especializado em Gestão Pública Municipal, pelo IFES.

Quantidades de pessoas que visualizaram este texto216 Quantidade de pessoas que curtiram este texto Quantidade de pessoas que não gostaram deste texto

05/12/2015 13:21:46

QUANDO NÃO SOU COMPREENDIDO

Atos capítulo 07.

No capítulo 07 de Atos dos Apóstolos, Lucas descreve o discurso retórico de Estevão, frente ao povo, liderados pelos Sacerdotes, que não podendo contender com Estevão, o conduz ao conselho. Acusando-o de blasfemar contra Moises e Deus.

Em sua oratória de defesa, Estevão narra com precisão, e de forma sucinta: a origem e história do povo Hebreu. Quando chega a Moises, Estevão diz que: “o povo hebreu estava tão pressionado, que rejeitava os próprios filhos”. Lembra que Moises foi uma das crianças sentenciadas, que fora salvo da morte e conduzido ao palácio. Onde estudou por 40 anos.

Homem feito. Conhecedor das letras. Veio visitar seu povo (os Hebreus), e acaba ferindo e matando um egípcio, para defender um Hebreu. Em outra visita, diante de dois Hebreus contenciosos, esses acusam-no de assassino, e rejeitam sua presença como líder.

Estevão também foi rejeitado. Sua defesa não foi aceita. Mataram-no.

Muitas vezes em nossas vidas somos rejeitados, não somos compreendidos.

Quando falamos, o que nos pertence é somente nossa fala. A escuta é de outro, o que falo, não é o que o outro ouve. A mensagem depende do receptor que decodifica-a, de acordo com suas próprias experiências. Ela não se resume aos vocábulos e suas funções: sintáticas ou gramaticais classificatórias.

Moises pensou que seu povo o entenderia. Acredito que em sua segunda aparição, esperasse uma calorosa recepção e agradecimentos. Mas em vez de aplauso: acusação, rejeição e agressão.

A defesa de Estevão também foi rejeitada. A multidão e os Sacerdotes cegos e enfurecidos apedrejaram-no, até a morte.

Quando não somos entendidos precisamos agir como Moises ou como Estevão:

Moises – percebeu sua precipitação, e foi para o deserto estudar mais.  Lá, foi preparado por Deus, por mais 40 anos.

Estevão – Viu a Rejeição dos homens, mas também viu a aprovação de Deus. Assim, perdoou seus agressores, rendendo-se a Deus.

Portanto, quando não fores entendido: pare, observe e decida:

Aprender como Moises!...

Ou

Perdoar como Estevão!...

Rogério da Marilene.

 

Casa de Oração em Jardim Marilândia - Vila velha/ES
by, Fabiano de Azeredo