"Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim." João 14.6

Coluna: FALANDO A ALMA
Nome: ROGÉRIO B. BERNARDES
E-mail: oirerog@gmail.com
Igreja: CASA DE ORAÇÃO EM JARDIM MARILÂNDIA
Memorando:

Rogério Batista Bernardes, casado com Marilene Rodrigues Bernardes, pai de Miguel e Marilia, nascido em Ecoporanga, em 1969.

Graduado pela Universidade Federal do Espirito Santo; Formado e Especializado em Psicanálise Clínica Pela UNIG e ABPC; Especializado em Gestão Pública Municipal, pelo IFES.

Quantidades de pessoas que visualizaram este texto Quantidade de pessoas que curtiram este texto Quantidade de pessoas que não gostaram deste texto
51

05/12/2015 13:21:46

QUANDO NÃO SOU COMPREENDIDO

Atos capítulo 07.

No capítulo 07 de Atos dos Apóstolos, Lucas descreve o discurso retórico de Estevão, frente ao povo, liderados pelos Sacerdotes, que não podendo contender com Estevão, o conduz ao conselho. Acusando-o de blasfemar contra Moises e Deus.

Em sua oratória de defesa, Estevão narra com precisão, e de forma sucinta: a origem e história do povo Hebreu. Quando chega a Moises, Estevão diz que: “o povo hebreu estava tão pressionado, que rejeitava os próprios filhos”. Lembra que Moises foi uma das crianças sentenciadas, que fora salvo da morte e conduzido ao palácio. Onde estudou por 40 anos.

Homem feito. Conhecedor das letras. Veio visitar seu povo (os Hebreus), e acaba ferindo e matando um egípcio, para defender um Hebreu. Em outra visita, diante de dois Hebreus contenciosos, esses acusam-no de assassino, e rejeitam sua presença como líder.

Estevão também foi rejeitado. Sua defesa não foi aceita. Mataram-no.

Muitas vezes em nossas vidas somos rejeitados, não somos compreendidos.

Quando falamos, o que nos pertence é somente nossa fala. A escuta é de outro, o que falo, não é o que o outro ouve. A mensagem depende do receptor que decodifica-a, de acordo com suas próprias experiências. Ela não se resume aos vocábulos e suas funções: sintáticas ou gramaticais classificatórias.

Moises pensou que seu povo o entenderia. Acredito que em sua segunda aparição, esperasse uma calorosa recepção e agradecimentos. Mas em vez de aplauso: acusação, rejeição e agressão.

A defesa de Estevão também foi rejeitada. A multidão e os Sacerdotes cegos e enfurecidos apedrejaram-no, até a morte.

Quando não somos entendidos precisamos agir como Moises ou como Estevão:

Moises – percebeu sua precipitação, e foi para o deserto estudar mais.  Lá, foi preparado por Deus, por mais 40 anos.

Estevão – Viu a Rejeição dos homens, mas também viu a aprovação de Deus. Assim, perdoou seus agressores, rendendo-se a Deus.

Portanto, quando não fores entendido: pare, observe e decida:

Aprender como Moises!...

Ou

Perdoar como Estevão!...

Rogério da Marilene.

 

Casa de Oração em Jardim Marilândia - Vila velha/ES
by, Fabiano de Azeredo