"Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim." João 14.6

NOTÍCIAS GOSPEL

Quantidades de pessoas que visualizaram este texto
223
Quantidade de pessoas que curtiram este texto
Quantidade de pessoas que não gostaram deste texto

Médico é demitido por se posicionar contra homossexualidade

O doutor Eric Walsh também é pastor adventista

por Jarbas Aragão

Em 2015, Kelvin Cochran, chefe dos bombeiros de Departamento de Bombeiros de Atlanta, Georgia, foi demitido após escrever um livro sobre o pecado original e suas consequências. Entre as afirmações, ele classifica a homossexualidade e lesbianismo como “perversão sexual”. Por causa dos protestos de grupos LGBT, ele acabou sendo demitido. Diferentemente do Brasil, nos Estados Unidos, não existe a mesma estabilidade dos concursos públicos.

Agora, o doutor Eric Walsh é quem luta na justiça contra sua demissão. Funcionário do Departamento de Saúde Pública da Geórgia, o motivo de sua exclusão do quadro funcional do estado é o fato dele ser pastor e pregar contra a homossexualidade. Além de médico, ele foi ordenado pela igreja Adventista do Sétimo Dia e seus sermões estão disponíveis no Youtube.

Além de ser formado em Medicina, ele possui doutorado em saúde pública. Trata-se de um profissional reconhecido, tendo sido parte do Conselho Consultivo sobre o HIV/AIDS do presidente Barack Obama.

Seus advogados estão processando o governo da Georgia, baseado em uma Lei de Direitos Civis, de 1964, que proíbe decisões de empregadores que tenham como base motivos religiosos.

Documentos que foram divulgados pela sua defesa comprovam que funcionários do Departamento de saúde usaram como “prova” os sermões do pastor, onde ele defende o casamento tradicional. Para o médico, trata-se de algo orquestrado por militantes LGBT que já se manifestaram contra ele em um evento numa universidade.

O processo está em andamento desde 2014 e na época, Walsh afirmou em comunicado que não “podia acreditar” que sua demissão foi por motivos alheios ao serviço.

“Sou filho de uma mãe solteira que sempre me ensinou qual era a nossa fé. Aprendi na igreja a importância de estudar e esses valores [cristãos] me levaram a querer servir aos necessitados. Foi por isso que me tornei médico e continuarei divulgando minha crença. A minha fé é importante para mim, frequentemente falo sobre ela em igrejas e conferências”, disse.

E acrescentou: “Eu não posso acreditar que eles me demitiram por causa de coisas que eu falei em meus sermões. Não consegui mais emprego na saúde pública desde então. Ao rever meus sermões, me demitiram por causa das minhas crenças religiosas. O estado da Geórgia destruiu a minha carreira no serviço público”.

Jeremy Dys, um dos advogados de Walsh, afirmou à imprensa: “Se é permitido ao governo demitir alguém baseado no que eu disse em um sermão, então poderão vir atrás de qualquer um de nós por causa de nossas crenças… Precisamos garantir que cada cidadão tenha o direito de falar sobre sua fé na igreja, sem ser demitido ou impedido de trabalhar no serviço público”. Com informações Christian Today

Data: 30/04/2016 10:06:39
Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br/medico-demitido-posicionar-contra-homossexualidade/?utm_source=onesignal&utm_medium=web&utm_campaign=push

.:: COMENTÁRIOS ::.

DATA:
30/04/2016 14:18:26

NOME:
Abigail Martins Azeredo

COMENTÁRIO:
Admiro a coragem do médico, mais importa obedecer a Deus do que os homens, a verdade tem que ser falada.


.:: DEIXE SEU COMENTÁRIO ::.

Digite no campo abaixo o que você vê na imagem
Digite o texto da imagem no campo abaixo


Casa de Oração em Jardim Marilândia - Vila velha/ES
by, Fabiano de Azeredo